Você está aqui
Home > Notícias > Padre Rafael Solano toma posse na Catedral de Londrina

Padre Rafael Solano toma posse na Catedral de Londrina

Após quatro anos na São Vicente de Paulo, Solano será o 13º pároco de nossa Igreja-Mãe

No último domingo (11) a Catedral Metropolitana de Londrina (Paróquia Sagrado Coração de Jesus) celebrou a posse de seu novo pároco: José Rafael Solano Durán, que nos últimos quatro anos esteve na Paróquia São Vicente de Paulo. Junto com o Padre Rafael, também foi empossado como vigário paroquial o Padre Dirceu Júnior, ordenado presbítero no dia 16 de dezembro de 2017. Solano será o 13º pároco da história da Catedral.

No início da celebração, o Arcebispo de Londrina, Dom Geremias Steinmetz, fez questão de agradecer ao Monsenhor Bernardo Carmel Gaffá, que esteve à frente da Catedral por cerca de 30 anos. “Depois de termos tido um longo período de trabalho do Monsenhor Bernardo, que está aqui entre nós justamente para podermos dizer da gratidão da Arquidiocese pelo seu trabalho aqui, especialmente pelo seu trabalho como pároco nas muitas pastorais e movimentos, que fazem com que as pessoas aqui possam viver a sua fé. Sua presença, sobretudo como alguém que exerceu várias funções nos últimos 50 anos e hoje com certeza somos gratos a Deus pelo seu trabalho, seu impulso evangelizador e pastoral que deu à essa Igreja e colaborou fortemente em toda a Arquidiocese”, declarou Geremias, seguido de um forte abraço e calorosas palmas para Gaffá, que foi transferido para a Paróquia Imaculada Conceição, no Decanato Centro.

Após a homenagem ao Monsenhor, o padre Cesar Braga, que voltou de um período da Colômbia e assumirá o Seminário Paulo VI, realizou a leitura do documento que oficializa a posse do Padre Rafael. Segundo o documento, baseado no Código de Direito Canônico, é missão do pároco “ensinar o Evangelho, administrar os sacramentos e reger o povo de Deus”. Datado em 11 de fevereiro, o documento tem validade de até seis anos. Solano recebeu a estola e as chaves do sacrário.

No Evangelho do 6º Domingo do Tempo Comum (Mc 1, 40-45), que fala sobre a chegada de um homem leproso e a sua cura por Jesus Cristo, o Arcebispo relacionou a Palavra com o trabalho pastoral. “Neste Evangelho, com certeza percebemos a importância da pastoral do dia a dia, a importância da dedicação diária da nossa fé, e também da pastoral bem dirigida, para que a salvação seja oferecida às pessoas. Por isso lhes pergunto e afirmo: ‘existe algo salvífico mais simples do que a água que nos batiza, o óleo que nos unge, e o pão e o vinho que recebemos como eucaristia como corpo e sangue do Senhor?’ É esta simplicidade que Deus quer em Jesus Cristo, e através do trabalho da Igreja continuar evangelizando, fazendo-se presente na vida do povo e acima de tudo, nos fazer discípulos missionários. Por isso, padres Rafael e Dirceu, com certeza é grande a importância da gente atender bem o nosso povo, fazendo com que sintam a presença de Deus e que sejam desafiados a serem discípulos. Em nossa Arquidiocese, temos muitas propostas que nos desafiam para o discipulado, como o Dia da Palavra, as Santas Missões Populares e os Grupos Bíblicos de Reflexão, que refletem a incidência do evangelho em nosso dia a dia. Assim, desejo que vocês tenham êxito em vosso trabalho e que esta parceria possa dar certo e render muitos frutos, como produziu nos últimos anos, para o bem do trabalho da evangelização e que nós possamos sempre mais viver a alegria de sermos de Jesus Cristo”.

A celebração também contou com a entrada de um representante de cada movimento e pastoral da Catedral, e uma mensagem de acolhida foi lida pela presidente do Conselho Pastoral Paroquial, Marli Giarola. Respondendo à acolhida, Padre Rafael se pronunciou pela primeira vez como pároco da Catedral. “Posso dizer que tanto o (padre) Dirceu quanto eu já sentimos acolhidos nesta Catedral, que é a catedral do coração da Igreja de Londrina, a catedral como espaço de caridade, fraternidade e encontro de todas as comunidades da Arquidiocese”.

“Com esse nome (Coração de Jesus), ela como Igreja-Mãe abre as portas para que todos e todas sintam o mesmo aconchego e amor que sentiu o leproso quando foi tocado por Jesus. A pior das lepras do século XXI é a indiferença, a falta de amor e de acolhida. Por isso queremos acolher a todos com o coração aberto, para vivermos plenamente o que Jesus nos coloca dia após dia: anunciar a boa nova”, completou o Padre, que fez agradecimentos especiais à família que está na Colômbia e acompanhava a celebração pela internet, os paroquianos da São Vicente de Paulo e as Irmãs Claretianas e de Schoenstatt.

Por Edson Neves

Artigos similares

Topo